Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

logo-bg-off-red
No comando: Sequência BG

Das 00:05 às 12:00

images
No comando: Pão Diário 2ª Edição

Das 06:00 às 06:05

images
No comando: Pão Diário 3ª Edição

Das 12:00 às 12:05

top-10-project
No comando: Top 10 BG

Das 12:05 às 13:00

logo-bg-off-blue
No comando: Sequência BG 02

Das 13:00 às 24:00

interligados-na-palavra
No comando: Programa Interligados Na Palavra

Das 14:00 às 16:00

images
No comando: Pão Diário 4ª Edição

Das 18:00 às 18:05

images
No comando: Pão Diário 1ª Edição

Das 24:00 às 24:05

Policial ora por homem esfaqueado, que sobrevive.

Compartilhe:
toni-de-ramos-costa

 

O caso Adriano Shimabukuro, de 39 anos, viralizou nas redes sociais. Sobrevivente de um ataque que quase custou sua vida, em Registro, interior de São Paulo, ele agradeceu publicamente o resgate feito pelo sargento da Polícia Militar Toni de Ramos Costa, que também é pastor.

Na tarde do último dia 24, Shimabukuro, dono de uma empresa de segurança, tentava abastecer o carro, quando foi atropelado por um homem em frente a um posto de combustíveis.

“A esposa desse rapaz já trabalhou na minha empresa, mas não tinha vínculo. E ele guardou uma raiva de mim, achando que eu tinha me envolvido com ela, o que não é verdade”, explicou. O autor do crime, cujo nome não foi divulgado, o atropelou e, logo em seguida, o agrediu.

Enquanto tentava se recuperar, foi esfaqueado pelo agressor, primeiramente nas costas. “Ele acabou me golpeando outras dez vezes nas costas, atrás da orelha e na nuca. Quando vi o sangue, gritei para segurarem o cara. Achei que ia morrer. Mas ainda consegui segurar ele pelo pescoço, sem fazer força, e só soltei quando a polícia chegou”, contou ele ao G1.

Quando entrou no posto, o sargento Ramos diz que viu um homem “todo ensanguentado, que não conseguia respirar. Não sabíamos a gravidade”.

Decidiu então orar pela vítima. “Como também sou pastor, fiz meu papel de cristão. Orei pela vida dele até chegar o resgate. Deus me disse que ele teria uma nova chance”, testemunha.

Shimabukuro foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento de Registro. “Quando o médico viu as facadas, se espantou. Mas tudo foi suturado, e passei uma noite em observação. Na manhã do dia seguinte, tive alta”, destaca. “Em dois dias, voltei a trabalhar”.

O sargento fica feliz por ver que a vítima que ajudou a socorrer se recuperou: “Fiz o que Deus mandou naquele momento, junto com a equipe do dia, para os primeiros socorros. É a minha função, do quartel para a sociedade. Ele tomou 11 facadas, só depois que vimos a proporção. Foi um milagre”.

 

Fontes:Gospel Prime e G1.

Deixe seu comentário: